A juíza da Vara de Execução de Penas Alternativas de João Pessoa, Virgínia de Lima Fernandes, decretou sigilo no caso que envolve a morte da jovem Patrícia Roberta, de 22 anos. O principal suspeito pelo assassinato, Jonathan Henrique, passou por audiência de custódia, nessa quarta-feira (28), e teve a prisão preventiva decretada.

Com a decisão da magistrada, o acesso às informações sobre o processo investigativo agora ficam limitados às partes e aos advogados envolvidos no caso. A Polícia Civil da Paraíba continua investigando a motivação para chegar na elucidação do caso.

Prisões
Jonathan e um amigo, identificado como Marcos Melo dos Santos, também de 23 anos, foram conduzidos para a Central de Polícia Civil da Paraíba, em João Pessoa.

Marcos, que tentava entrar num apartamento do amigo quando foi flagrado por policiais, assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberado em seguida. A polícia investiga a participação de Marcos no crime. Ele é suspeito de favorecimento ao suspeito de homicídio e ocultação de cadáver.

Já Jonathan passou por audiência de custódia, nesta quarta-feira (28), em João Pessoa, e teve a prisão preventiva decretada. Ele foi encaminhado para o Presídio do Róger, também na Capital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

6 + 4 =