O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi a Londres para participar do funeral da rainha Elizabeth 2ª, que teve cerimônias entre o domingo (18) e esta segunda (19). No entanto, na capital britânica ele manteve sua agenda em ritmo de campanha eleitoral. O comportamento do presidente brasileiro foi alvo de críticas dos jornais do Reino Unido, que apontam uma tentativa de usar o enterro da monarca como plataforma eleitoral.

No domingo (18), Bolsonaro discursou contra a “ideologia de gênero”, o aborto e a regulamentação das drogas na bancada da embaixada brasileira em Londres. Apoiadores vestidos de verde amarelo acompanharam a fala na bancada da representação diplomática brasileira.

“O Brasil é a terra prometida. O Brasil é um pedaço do paraíso e nós devemos nós orgulhar de termos nascido lá”, disse Bolsonaro, ao lado do pastor Silas Malafaia.

O presidente brasileiro também gravou um vídeo para suas redes sociais em um posto de gasolina, para procurar demonstrar como os combustíveis no Brasil são, supostamente, acessíveis.

jornal The Independent afirmou que Bolsonaro fez um “comício eleitoral improvisado” e lembrou que o presidente brasileiro encontrou o agora rei Charles 3º em 2019. Na ocasião, Bolsonaro afirmou que Charles “é uma pessoa que, como o resto do mundo, está enganada sobre a Amazônia”.

The Times questionou a comparação do preço do combustível britânico com o brasileiro, destacando que os salários no Reino Unido são “significativamente maiores” e afirmou no título que o líder brasileiro “quebra o luto para marcar pontos políticos”.

Daily Mail classificou Bolsonaro como um “populista de direita” que fez um “comício” da janela da representação diplomática brasileira.

Já o The Guardian destaca que o “presidente de extrema direita do Brasil” afirmou em seu discurso na embaixada que está no caminho para vencer as eleições no primeiro turno — embora as pesquisas indiquem, diz o jornal britânico, que o ex-presidente Lula “irá prevalecer”.

Perguntado nesta segunda-feira (19) se estaria fazendo um uso político do funeral, Bolsonaro se irritou e encerrou a entrevista. “Você acha que vim aqui fazer política? Pelo amor de Deus, não vou te responder não. Pelo amor de Deus, não tem uma pergunta decente?”, disse o presidente brasileiro antes de virar as costas e abandonar a entrevista.

Edição: Arturo Hartmann

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

12 + 8 =