O governador João Azevêdo abriu, na manhã desta quarta-feira (29), no Centro de Convenções de João Pessoa, o seminário “O Nordeste como prioridade do desenvolvimento nacional”. Promovido pelo Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba, o evento conta com a participação de diversas autoridades, estudiosos e pesquisadores que, até esta quinta-feira (30), vão abordar o desenvolvimento socioeconômico da região sob diferentes eixos — turismo, energias renováveis, educação, ciência e tecnologia, entre outros aspectos.

Em sua fala de abertura, o chefe do Executivo estadual destacou a importância do seminário na discussão e formulação de propostas para avanço no desenvolvimento do Nordeste. “Primeiro dizer da relevância dessa discussão no momento atual. É importante que se debata neste fórum os eixos, os encaminhamentos que possam ser dados para que a gente possa participar mais do desenvolvimento do Brasil e dos estados nessa busca por melhores condições de vida e de oportunidades para todos”, afirmou.

O chefe do Executivo estadual participou, ainda, da primeira mesa de debate do evento em que apresentou as potencialidades da Paraíba, a exemplo da boa gestão fiscal, garantindo capacidade de investimentos, infraestrutura rodoviária, proporcionando desenvolvimento aos municípios paraibanos, além dos investimentos em segurança hídrica, atraindo empresas e melhorando a qualidade de vida da população — com a construção da adutora Transparaíba, entre outras ações, como a construção de cisternas e barragens.

Participaram ainda da mesa Gilson Frade, representando a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep), e Paulo Rocha, da Central Única dos Trabalhadores nacional (CUT).

A deputada estadual Pollyanna Dutra, que representou a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), falou da satisfação em participar do seminário. “Como integrante do Fórum Celso Furtado me alegra muito a realização desse seminário. Me alegro, ainda, por estar representando a Assembleia Legislativa, que cumpre um papel fundamental na elaboração de políticas públicas, além deste seminário promover o protagonismo feminino”, comentou.

A primeira conferência do evento, que comemora os três anos da Fundação Celso Furtado, teve como tema “O novo subdesenvolvimentismo como base de superação do subdesenvolvimento nordestino”, ministrada pelo presidente do Fórum, Rômulo Soares Polari, e pela professora emérita Tânia Bacelar (UFPE).

Para Rômulo Polari, discutir as causas do subdesenvolvimento do Nordeste é fundamental. “Além de discutirmos essas causas, vamos também apontar as soluções. Temos uma região rica em energias renováveis, excelentes universidades, enfim. A riqueza deste seminário está, principalmente, em apontar soluções, que vão estar nos anais e que serão encaminhadas às autoridades neste ano tão importante, em que teremos eleições”, disse.

Na conferência, Rômulo Soares Polari traçou um perfil histórico do Nordeste, mostrando as conexões com a atual situação socioeconômica da região, “reflexo das políticas nacionais equivocadas”, que optou por concentrar o desenvolvimento no Centro—Sul. O professor ressaltou que, neste contexto, a contribuição do paraibano Celso Furtado foi essencial ao apontar os caminhos de superação do subdesenvolvimento nordestino.

Já Tânia Bacelar, considerada referência em economia regional, afirmou que uma das ações para mudar a realidade do Nordeste é lutar contra o preconceito que a região ainda enfrenta, mesmo ante avanços em áreas como ciência e tecnologia, inclusive com grande desenvolvimento chegando ao interior nordestino. “Temos um grande desafio que é mudar a maneira distorcida como somos ainda vistos. Quando se fala em Nordeste se fala de pobreza, de Bolsa Família. É uma imagem distorcida de uma região que muda muito”, sintetizou.

O secretário de Finanças e Planejamento do Rio Grande do Norte, Aldemir Freire, que representou a governadora Fátima Bezerra, ressaltou que uma das soluções é integrar cada vez mais a região, numa ação semelhante à do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Nordeste (Consórcio Nordeste). “Não existe desenvolvimento brasileiro sem o desenvolvimento da região Nordeste que, de tão rica, nos permite dizer que existem vários ‘Nordestes’. E é preciso mais integração, como ocorreu com os estados que formaram o Consórcio, mas ir além: realizar uma integração com os municípios e também no âmbito federal, inclusive reforçando a mudança da matriz industrial da região para ciência e tecnologia”, comentou.

A abertura do seminário “O Nordeste como prioridade do desenvolvimento nacional” foi prestigiada, ainda, pelo superintendente do Banco do Nordeste na Paraíba, João Nilton; Walter Aguiar, superintendente do Sebrae-PB; o secretário de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia, Cláudio Furtado; o diretor da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep), Raimundo Frade; representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) nacional, Paulo Rocha, entre outras autoridades.

Programação — A programação do seminário do Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba prossegue nesta quinta, com conferências, painéis e mesas de debate. Pela manhã, das 8h às 13h. À tarde, das 14h às 17h.

Ainda vão passar pelo seminário “O Nordeste como prioridade do desenvolvimento nacional” nomes como Guido Lemos (UFPB), Mozart Ramos Neves (UFPE) e Ébio Oakaman (UFPB).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11 − nove =