Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Ingrid Caroline diz que foi vítima de um golpe de uma agência de viagens que prometeu hospedagem e passagens gratuitas. Ela vai responder em liberdade por estelionato.

influenciadora digital Ingrid Caroline Borges Gonçalves, presa na segunda-feira (24) ao tentar pagar uma hospedagem de R$ 3.944 com um cartão clonado, foi solta pela Justiça depois de pagar uma fiança de R$ 1 mil.

O caso foi registrado na 12ª DP (Leblon), depois que o administrador do apartamento que seria alugado na Avenida General San Martin procurou a polícia.

A influenciadora diz que foi vítima de um golpe e vai responder ao processo em liberdade suspeita de estelionato (veja mais abaixo a nota de defesa).

De acordo com o advogado dela, Lucas França Bressanin, uma pessoa entrou em contato com a influenciadora se apresentando como responsável de uma agência de viagens. Essa pessoa teria oferecido descontos em passagens e hospedagens.

Segundo a investigação, os cartões tinham numeração válida e pertenciam a terceiros. A fraude consiste em alterar a titularidade do cartão, colocando o nome do golpista. Em alguns casos, a operadora de cartão de crédito só notava a fraude depois do check-out.

Em uma conversa obtida pela polícia, a influenciadora fala com uma pessoa identificada como Cristiano. Ela pede a ele para tentar fechar uma estadia. Ao fim do dia, após algumas experiências frustradas, ela avisa que vai deixar o apartamento no Leblon onde a fraude foi descoberta.

Cristiano: Minha conversa com a mulher não foi essa que tu disse que vc não era titular. Enquanto o sistema mostra que sim. Eu coloquei vc como titular.

Mais cedo, ainda na conversa, ela pede a ajuda dele em maio às tentativas de conseguir estadias em outros locais — sem sucesso, por conta de problemas no cartão.

No dia seguinte à prisão, após pagar a fiança de R$ 1 mil e ser solta, ela voltou às redes sociais. Sem se deixar afetar pelo episódio, ela fez o seu tradicional “bom dia”, com direito a dancinha sensual para saudar os seguidores.

Ingrid também saltou de 188 mil seguidores para 196 mil desde o episódio e aproveitou para publicar o que chamou de nota de esclarecimento.

“Em meados de julho de 2021, a influencer foi abordada través da mídia social Instagram pelo IG @grupo.maisx onde, na oportunidade, o interlocutor se apresentou como uma agência de viagens e propôs uma parceria para divulgação da respectiva empresa onde, em troca, a influencer receberia passagens e hospedagens gratuitas e/ou descontos”, diz trecho do documento enviado pelo advogado.

“Com a parceria firmada, a influencer passou a divulgar em suas mídias sociais o @grupo.maisx, que exigiu todos os seus dados pessoais para que assim pudesse disponibilizar as referidas passagens e hospedagens em pagamento ao serviço de divulgação. De forma criminosa, premeditada e ardilosa, o estelionatário ao conquistar a confiança da vítima e estando em posse de todo seus dados pessoais, efetuou a clonagem de um cartão de crédito, que foi utilizado pelo malfeitor de forma on-line e sem o conhecimento da mesma”, explica.

“De forma colaborativa, a vítima apresentou as autoridades inúmeras provas e relatos que demonstram indubitavelmente as tratativas, o acordo de prestação de serviço de divulgação entabulado entre as partes e que forneceu todos seus dados para a respectiva empresa, que lhes utilizou de forma ilícita, efetuando a clonagem do cartão de crédito que passou a ser utilizado sem qualquer autorização/conhecimento”, diz na parte final do documento.

G1 ›
Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez − sete =