A Honda anunciou, nesta sexta (22), que irá suspender temporariamente sua linha de produção no Amazonas. A paralisação irá ocorrer de 25 de janeiro a 3 de fevereiro. A fábrica produz motocicletas, quadriciclos e motores estacionários.

A medida foi tomada, segundo a empresa, por conta do avanço da Covid-19 no estado e pela indisponibilidade de insumos para a produção, afetada pela pandemia. “A retomada está prevista para 4 de fevereiro, desde que as condições necessárias sejam atendidas”, disse.

O Amazonas enfrenta um novo surto de Covid, e sofre com falta de oxigênio nos hospitais. Em meio ao caos na Saúde, a vacinação contra Covid já está há dois dias suspensa em Manaus para “replanejamento” da campanha, após denúncias de fura-fila.

Até quinta (21), mais de 6,7 mil pessoas morreram com a doença. O mês de janeiro já bateu recorde de internações pela doença no estado.

O comércio não essencial no Amazonas está proibido de abrir até o dia 31 de janeiro, mas indústrias não foram afetadas pela decisão. O estado também está com toque de recolher de 19h às 6h.

De acordo com a Honda, durante o período de suspensão, os colaboradores das áreas administrativas e produtivas entram em férias coletivas, “permanecendo um contingente mínimo de pessoas para a realização de atividades essenciais”.

A Honda ressaltou que doou, recentemente, 454 cilindros de oxigênio para o Estado do Amazonas. Além disso, a Honda realizou a doação de 20 mil máscaras do tipo faceshield.

No ano passado, durante o primeiro surto da Covid no Amazonas, cerca de 30 mil trabalhadores do Polo Industrial de Manaus tiraram férias coletivas antecipadas. Entre abril e maio, as únicas empresas que seguiram com as operações na Zona Franca produziam insumos para combater a doença.

Cilindros de oxigênio saíram de São Paulo e foram entregues em Manaus — Foto: Moto Honda da Amazônia/Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três + quatro =