A paraibana Maria Cecília, de 42 anos, já sofria há anos com a violência do ex-marido segundo vizinhos, mas na segunda-feira (16), essa violência escalou e ela foi morta com um tiro na cabeça. O agressor também atirou na polícia e feriu três policiais que chegaram para atender a ocorrência, na Vila Maria, Zona Norte de São Paulo. Antes disso, o suspeito fez uma ligação de vídeo para a mãe da mulher, que mora em Campina Grande, na Paraíba, e enviou uma foto da vítima ferida em uma mensagem por aplicativo de mensagens.

Minutos após o crime e antes mesmo da chegada da polícia, o suspeito de assassinato ligou para a mãe da ex-esposa, que não atendeu a chamada, insatisfeito ele enviou uma foto da mulher ferida.

Os PMs, que usavam escudos, foram feridos nas pernas. Segundo a assessoria de imprensa da polícia, eles revidaram, e o atirador também foi baleado. Quando a PM foi chamada, por volta das 16h, o homem estaria mantendo a esposa como refém, mas ao chegarem no local, ela já estava possivelmente morta, segundo informações do Comando de Operações Especiais da PM.

Na Paraíba, a família pretende solicitar a guarda dos dois filhos menores de Maria Cecília. Ela também deixou um filho de 18 anos.

O homem continua internado sob custódia. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), ele deve ser indiciado pela Polícia Civil pelos crimes feminicídio e tentativas de homicídio.

Nas redes sociais, Maria Cecília já mostrava que ela passava por dificuldades no relacionamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × quatro =