Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Uma criança, de sete anos, está internada no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, com suspeita de infecção da hepatite misteriosa. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) este é o primeiro caso em investigação na Paraíba.

O paciente internado na Unidade da Criança e do Adolescente também é monitorado pelo Minisério da Saúde e pela Secretaria Municipal de Saúde da capital paraibana.

Em nota, o hospital comunicou que a criança permanece em condição clínica estável e com melhora progressiva dos exames laboratoriais.

Segundo especialistas, a doença não é ocasionada por nenhum dos vírus conhecidos da hepatite (A, B, C, D e E) e pode ter relação ainda não esclarecida entre a Covid-19 e um tipo de adenovírus.

A hepatite de origem desconhecida está acometendo crianças em, ao menos, 20 países. A doença se manifesta de forma muito severa e não tem relação direta com os vírus conhecidos da enfermidade. Em cerca de 10% dos casos foi necessário realizar o transplante de fígado.

Sintomas

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da OMS nas Américas e Caribe, os pacientes da hepatite aguda apresentaram sintomas gastrointestinais, incluindo dor abdominal, diarreia, vômitos, e icterícia (quando a pele e a parte branca dos olhos ficam amareladas). Não houve registro de febre.

O tratamento atual busca aliviar os sintomas e estabilizar o paciente se o caso for grave. As recomendações de tratamento deverão ser aprimoradas, assim que a origem da infecção for determinada.

Os pais devem ficar atentos aos sintomas, como diarreia ou vômito, e aos sinais de icterícia. Nesses casos, deve-se procurar atendimento médico imediatamente.

Um detalhamento dos sintomas da doença pode ser encontrado no site da Opas.

 

Portal T5

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × quatro =