O governador João Azevêdo, em entrevista ao programa ‘Conversa com o Governador, da rádio Tabajara, nesta segunda-feira (8) explicou sobre o cronograma do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), parceria que o país fez com a China. Conforme acompanhou o ClickPB, o gestor destacou a reunião feita com o embaixador chinês que garantiu o repasse dos insumos para o aumento da produção de vacinas em todo o país.

Segundo o chefe do executivo, mais de R$ 16 milhões de doses da Coronavac chegarão ao país nos próximos dias por meio dessa parceria com a China. “No dia 3 chegou uma quantidade desses insumos para o Butantan, que já iniciou a produção e com isso permitiu que no dia 23 cheguem mais de 8 milhões de doses. Agora dia 10 chegará mais insumos que produzirá mais R$ 8 milhões de doses. Através desse consórcio poderá chegar ainda mais vacinas nos próximos meses”, revelou.

Para ele, essa conquista é fruto do diálogo feito entre os govenadores e o embaixador da China para agilizar todo o processo de envio dos insumos. “Tivemos uma reunião produtiva para apresentar ao embaixador chinês a nossa preocupação com relação a entrega do IFA que estabelece um cronograma de entrega dos insumos nos próximos meses para a produção de vacinas nos Institutos Butantan e Fiocruz, permitindo aos estados um melhor planejamento para a distribuição dos imunizastes”, destacou.

As mais de 56 mil doses da Covonavac fazem parte da quarta remessa, que chegou neste domingo na Paraíba e já foram distribuídas para as 12 gerencias regionais que atendem os 223 municípios durante esta segunda-feira (8). De acordo com informações obtidas pelo ClickPB, a Secretaria de Saúde do Estado orienta a vacinação de 94% das doses para idosos com mais de 90 anos e 6% para profissionais de saúde.

Segundo a SES, até o momento, 60% dos profissionais de saúde da linha de frente já foram imunizados, motivo pelo qual a campanha de vacinação se amplia para os idosos em situação de vulnerabilidade como os acamados, mais expostos aos riscos graves da doença. O plano avança para proteger os mais vulneráveis, com a mortalidade maior.

Ainda segundo o governador, os prefeitos devem priorizar a vacinação para “diminuir internações e o número de óbitos, os prefeitos devem agilizar a vacinação. Nós iremos cada vez mais ampliar as faixar etárias conforme a chegada de mais vacinas, cobrindo os grupos de risco”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

10 + cinco =