A empresa que cuida de Gabigol, atacante do Flamengo, entrou com um pedido na Justiça para tentar impedir que a Globoplay exibisse o último episódio de “Predestinado”, a série documental que conta a história do atleta. No entanto, a Justiça negou a liminar pedida pelo jogador. A informação foi divulgada hoje (21) pelo site “Mundo Rubro Negro”.
“Segundo o pedido, “na manhã do dia 20 de março de 2021, o Requerente tomou conhecimento que a Requerida, sem qualquer comunicação prévia ou anuência, irá lançar no domingo, dia 21 de março de 2021, o 4º (quarto) episódio do documentário ‘Predestinado’, narrando os ‘detalhes’ da ‘ida do atleta Gabigol a um local que foi descrito como sendo um ‘cassino’ e, que devido a aglomeração de pessoas que se encontravam no local, em especial, pela vedação imposta pela Pandemia Mundial causada pelo Covid-19, o mesmo foi convidado a se retirar do recinto e prestar depoimento junto as autoridades competentes”, diz um trecho do documento.
Na decisão, o então juiz de plantão afirma que: “Ressalta-se que o próprio jogador do Flamengo, em entrevista concedida ao programa Fantástico, disse estar arrependido, deixando evidente que o fato ocorrido no dia 13 de março é público e notório”.

O episódio final da série sobre o jogador do Flamengo já está disponível na plataforma do Grupo Globo.

Relembre o caso

Gabigol foi flagrado na madrugada do último domingo em um casino clandestino em São Paulo com cerca de 200 pessoas e foi levado pela polícia para a delegacia. O Ministério Público de São Paulo denunciou o atleta e outras 57 pessoas com base no artigo 268 do Código Penal por “Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa”. Além disso, o MP sugeriu que Gabigol pague 100 salários mínimos ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez + 2 =