Pneu furado é um transtorno que atormenta os motoristas e tem sido agravado por uma tendência do mercado automotivo.

Já faz algum tempo que muitos carros têm saído de fábrica com estepe do tipo “bicicleta”: mais fino do que os demais pneus, o item sobressalente traz menos segurança e tem uso limitado a velocidades de até 80 km/h e a uma distância de 80 km, em média.

Além disso, veículos já têm sido comercializados sem nenhum estepe – substituído por pneus do tipo “run flat”, capazes de rodar mesmo furados. Essa tecnologia traz a vantagem de você não ter de parar para substituir o pneu, mas existem várias ressalvas quanto ao seu uso (veja abaixo).

Voltando ao “pneu de bicicleta”: além das limitações mencionadas acima, esse tipo de estepe está mais sujeito a danos causados por buracos, valetas e imperfeições do piso em geral, tão comuns no Brasil.

Por não oferecer as mesmas condições de segurança na comparação com os demais pneus do veículo, existe essa restrição de velocidade e distância a ser percorrida.

É o que informa o engenheiro Oliver Schulze, da SAE Brasil, segundo o qual a tendência do estepe fino é mais forte entre montadoras europeias. Além do corte de custos, ele cita outra motivação para seu uso.

“Os limites de emissões e as metas de consumo são muito rígidos e exigentes na Europa. O estepe menor pesa menos e, com isso, amplia-se a autonomia. Ainda que seja por pequena margem, com o passar do tempo a economia de combustível é mais perceptível”, pontua o especialista.

Devido às dimensões menores e por ser consideravelmente mais barato, o estepe fininho também atrai menos furtos, complementa Schulze.

Esses benefícios, contudo, não parecem ser suficientes para compensar os pontos negativos para os saudosos do estepe “full size”, cada vez mais raro.

Existe proposta no Congresso para banir o “pneu de bicicleta” nos automóveis e obrigar as montadoras a venderem carros equipados com cinco pneus de especificações iguais. Trata-se do Projeto de Lei 5.098/2020, que está na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze + 10 =