O Henri chegou à costa nordeste dos Estados Unidos na tarde deste domingo (22), após ter sido rebaixado de furacão para tempestade tropical.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA, o fenômeno perdeu força desde que alcançou o território americano e registra agora ventos a 40 km/h. Mais cedo chegou até 70 km/h.

A tempestade chegou ao estado de Rhode Island, provocando ventos fortes que cortaram a energia de dezenas de milhares de casas e chuvas que causaram inundações repentinas de Nova Jersey a Massachusetts, relatou a agência de notícias Associated Press.

A empresa de energia National Grid relatou que 74 mil clientes ficaram sem energia em Rhode Island e mais de 28 mil clientes foram afetados por interrupções em Connecticut.

Em coletiva de imprensa neste domingo, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que o governo americano está se mobilizando para ajudar na recuperação dos estragos provocados pela tempestade, e que recursos serão enviados para as regiões afetadas para garantir comida, água e comunicação.

“Vamos restaurar o sistema elétrico o mais rápido possível. Nós estamos agindo para evitar estragos e para acelerar ajuda às comunidades de forma que eles possam se recuperar o mais rápido possível”, disse Biden.

A cidade de Nova York também foi afetada pelas fortes chuvas provocadas pela tempestade Henri. — Reprodução/Getty Images

Antes de chegar aos EUA, ondas fortes e chuva provocaram alagamentos em cidades litorâneas do sul do estado de Rhode Island, deixando algumas estradas costeiras quase intransitáveis.

Autoridades alertaram sobre o perigo de novas inundações em áreas do interior nos próximos dias.

Especialistas apontam que a principal ameaça do Henri não é o vento, e sim as inundações que podem ser causadas por chuvas fortes e prolongadas.

As primeiras chuvas causadas pelo Henri nos EUA foram registradas no sábado e causaram alagamentos em pontos das cidades de Nova York, Newark e Hoboken.

Rhode Island registrou alagamentos antes do centro do Henri atingir os Estados Unidos — Foto: REUTERS/Brian Snyder

O fenômeno também levou à interrupção de um show no Central Park, em Nova York. O evento, que celebrava a reabertura da cidade, foi interrompido às pressas por conta do risco de raios.

Show realizado no Central Park, em Nova York, teve que ser interrompido. — Reprodução/Reuters

Os principais aeroportos da região permaneceram abertos, mas cancelaram alguns voos neste domingo. O sistema de trens de Nova York teve a operação parcialmente suspensa.

Fenômeno causou danos ao chegar ao nordeste dos EUA. — Reprodução/Reuters

Moradores de Nova Jersey sofreram com enchentes. — Reprodução/Getty Images

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três × 3 =