O secretário municipal de Saúde, Fábio Rocha, comentou , nesta sexta-feira (16), que a vacinação em João Pessoa deve ser retomada neste sábado (17), e apontou que a apresentação do título de eleitor é apenas uma “complementação” aos documentos já exigidos.

“A estratégia é não misturar o público. A vacina Coronavac, nesse momento, está sendo usada para a segunda dose de pessoas acima de 76 anos, desde que tenham mais de 28 dias da primeira dose, podendo chegar até 45 dias”, explica.

O secretário afirmou que houve um problema na distribuição, pois o município esperava receber mais 9 mil, mas só recebeu 4 mil. “Vamos distribuir por faixa etária, quem é mais velho primeiro, vamos reiniciar sábado para o grupo 76+. Além disso, será reiniciada com a vacina da Oxford/Astrazeneca, as vacinas para o grupo 56+ com comorbidades e trabalhadores da saúde. Serão duas vacinações ao mesmo tempo, com diferentes públicos”, ressaltou.

Título de eleitor – O secretário afirmou que não foi falado em obrigatoriedade da apresentação do título, embora a recomendação do Ministério Público de que a prefeitura “passará a exigir o título de eleitor de quem for tomar a primeira dose (D1) da vacina como filtro inicial para certificação de vínculo do usuário com o município de João Pessoa. Isso, porque o documento traz a informação do domicílio da pessoa de forma clara e de fácil conferência, facilitando o fluxo da vacinação, considerando a existência de filas”.

Após reclamações a respeito da medida o MP esclareceu, no mesmo texto, no entanto, que isso deve ser exigido sem prejuízo da comprovação da residência por outros documentos idôneos. O que ocorre é que o comprovante de residência normalmente exigido nem sempre está em nome da pessoa a ser vacinada (às vezes, está em nome do cônjuge, do pai, da mãe…), tornando a verificação e a comprovação mais demorada, porque requer a apresentação de outros documentos complementares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez − três =