A viagem que Jair Bolsonaro fez, no Dia da Independência do Brasil, de Brasília ao Rio de Janeiro, agora será cobrada do PL pelo uso do avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Anteriormente, algumas viagens do presidente da República não estavam listadas entre os que precisam ser ressarcidos pela legenda.

Por meio da Lei de Acesso à Informação, a corporação contabilizou 74 voos de campanha, feitos por Bolsonaro, entre 16 de agosto a 16 de outubro. Na versão anterior, as viagem estavam contabilizadas até o dia 1º de outubro, o que dava uma dívida de R$ 3,5 milhões para o PL.

O voo de 7 de Setembro, apesar de acontecer antes de 1º de outubro, não estava dentro do valor a ser pago à FAB. Com esse voo e os que ocorreram até 16 de outubro, a dívida aumento para R$ 5,3 milhões, que ainda pode ser reduzido, de acordo com o Gabinete Pessoal do Presidente da República.

Como presidente, Jair Bolsonaro tinha o direito de usar o avião para realizar sua campanha, com a condição de que a sigla pague as despesas. A lista de cobrança exclui voos que fazem parte da agenda oficial do Chefe do Executivo Federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quinze − treze =