Em uma nota técnica enviada ao governo federal, o Exército alertou que o decreto que amplia o acesso a armas de fogo, editado por Jair Bolsonaro, pode “fragilizar” a segurança pública no país.

Segundo o Estadão, a Assessoria de Apoio para Assuntos Jurídicos da Força fez uma ressalva no trecho que trata dos pedidos de autorização de importação de armas e munições por organizações de segurança e corporações policiais.

A nova norma estabelece que a documentação será entregue automaticamente ao cidadão, caso o Exército não analise o pedido em 60 dias.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze + nove =