A Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos Estados Unidos está considerando alterar em sua orientação sobre a ingestão diária de aspirina para prevenção de doenças cardíacas e derrame.

Nesta terça-feira (12), a força-tarefa publicou um rascunho de declaração recomendando que adultos com idades entre 40 e 59 anos que têm maior risco de doenças cardiovasculares – mas não têm histórico da doença – decidam com um médico se começam a tomar aspirina, com base em circunstâncias individuais.

Esta é a primeira vez que a força-tarefa recomenda que adultos na faixa dos 40 anos discutam com seus doutores se devem tomar aspirina para a saúde do coração.

O documento também diz que adultos com 60 anos ou mais não devem tomar aspirina para prevenir doenças cardíacas e derrames porque novas evidências mostram que danos potenciais anulam os benefícios, de acordo com a força-tarefa.

“As últimas evidências são claras: iniciar um regime diário de aspirina em pessoas com 60 anos ou mais para prevenir um primeiro ataque cardíaco ou derrame não é recomendado”, disse um membro da Força-Tarefa, Dr. Chien-Wen Tseng, em um comunicado. “No entanto, esta recomendação da Força-Tarefa não é para pessoas que já sofreram um ataque cardíaco ou derrame; elas devem continuar a tomar, a menos que seu médico diga o contrário”.

Doenças cardíacas são a principal causa de morte nos Estados Unidos, causando cerca de 25% de todos os óbitos. Embora a ingestão diária de aspirina em baixas doses diminua o risco de ataque cardíaco ou derrame em algumas pessoas, também acarreta o sério risco de sangramento potencial no estômago, intestinos e cérebro, de acordo com a força-tarefa.

“O uso diário de aspirina pode ajudar a prevenir ataques cardíacos e derrames em algumas pessoas, mas também pode causar danos potencialmente graves, como hemorragia interna”, diz o comunicado. “É importante que as pessoas com 40 a 59 anos de idade e sem histórico de doenças cardíacas conversem com seu médico para decidirem juntas se começar a tomar aspirina é o certo para elas”.

A última vez que a força-tarefa fez uma recomendação sobre o uso de aspirina diária foi em 2016, quando disse que a decisão de começar a tomar aspirina em baixas doses “deveria ser individual” para adultos de 60 a 69 anos. Na época, o grupo recomendou uma aspirina de baixa dose diária para adultos com idades entre 50 e 59 anos que têm um risco 10% ou maior de doença cardiovascular.

Outros grupos já haviam apontado para os riscos da ingestão diária de aspirina.

Em 2019, o American College of Cardiology e a American Heart Association divulgaram diretrizes dizendo que a aspirina em baixas doses diárias não é mais recomendada como preventivo para adultos mais velhos que não apresentam risco elevado ou doença cardíaca existente.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × quatro =