Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Wilson Alves Motim, de 58 anos, divulgou um vídeo nesta segunda-feira (22) no qual confessa ter matado o filho Weberson Correa Motim, de 28 anos, com golpes de faca. O crime aconteceu em Jardim Tropical, na Serra, Grande Vitória, no último sábado (13).

Com três facadas no peito, Weberson chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Dório Silva, também na Serra, mas não resistiu aos ferimentos.

No vídeo, Wilson disse que sua intenção nunca foi matar o filho.

“Nunca seria meu objetivo, tirar a vida do meu próprio filho. Até então tudo que eu fazia era para a melhoria dele, para ajudar ele”, contou.

Sobre a motivação do crime, ele disse que tudo começou depois que o filho começou a agredir a esposa e o enteado. Segundo ele, sua intenção era proteger a nora.

“Alguém na rua viu que ele estava brigando com a esposa, segundo fiquei sabendo. desceram dois caras do carro e bateram nele. Chegou em casa sangrando, pedi pra ele entrar pra dentro de casa, tomar um banho, dormir e descansar”, disse.

Depois que o filho chegou em casa, o aposentado disse que a briga entre os dois começou.

“Depois ele pegou o celular da esposa, tacou no chão e começou a agredir fisicamente a esposa e a criança, enteado dele. Eu entrei pra separar a briga, ele me pegou pelo pescoço e tivemos uma luta corporal, onde ele desferiu vários socos na minha cabeça. Eu já não estava aguentando mais. Ele me deu uma gravata e vários socos”, disse.
De acordo com o homem, ele foi em direção ao carro para encerrar a briga mas o filho foi atrás dele.

“Depois disso aí eu fui pegar meu carro pra sair e evitar mais problema. Aí acabou acontecendo a fúria do inimigo, rapaz. Ele chegou dando vários socos no vidro da porta do meu carro e eu saí e acabei dando uma facada nele e tirei a vida do meu próprio filho”, disse.

O homem ainda pediu perdão e disse que se entregaria à polícia.

“Quero pedir perdão primeiramente pra Deus e pra toda a minha família e todos os meus amigos. Esse nunca foi meu objetivo, tirar a vida do meu próprio sangue e quero também falar que se eu devo eu vou pagar. Eu vou para a delegacia, me entregar na delegacia e que a justiça tome providência”, finalizou.

O g1 procurou saber se Wilson se entregou em alguma unidade da Polícia Militar ou Polícia Civil.

Em nota, a Polícia Civil informou que não há novas informações que possam ser divulgadas e que as diligências seguem em andamento na Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Serra.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um + 4 =