A polícia de Berlim prendeu duas pessoas e suspendeu manifestações, neste sábado (29), contra as restrições de combate ao novo coronavírus. Segundo a organização, os manifestantes não cumpriram as regras de distanciamento mínimo e de usar máscaras, informou a imprensa alemã. Os protestos haviam sido permitidos judicialmente na sexta-feira.

Manifestantes têm ido às ruas da capital da Alemanha desde pelo menos o início deste mês. Neste sábado, cerca de 18 mil se reuniram em locais do centro de Berlim, segundo o jornal alemão “Die Welt”, como o Portão de Brandemburgo e a Friedrichstrasse, onde um contêiner pegou fogo, informou a polícia.

Os manifestantes carregavam cartazes que mostravam a chanceler alemã, Angela Merkel, junto com a palavra “culpada”. Também houve mensagens que diziam “parem os mentirosos do corona”, e “questione o seu medo”.

Até as 6h25 deste sábado (horário de Brasília; 11h25 em Berlim), 9.289 pessoas haviam morrido de Covid-19 na Alemanha, segundo o Instituto Robert Koch, que divulga os números.

Ao determinar a interrupção dos protestos, a polícia afirmou que medidas anteriores adotadas não haviam surtido efeito para que os manifestantes cumprissem as exigências de distanciamento.

“O distanciamento mínimo não está sendo mantido por vocês, apesar de solicitações repetidas”, afirmou a polícia em comunicado, segundo o jornal alemão “Die Welt”. “Por esse motivo, não resta outra possibilidade a não ser dissolver a reunião”.

Ainda segundo o “Die Welt”, antes de interromper os protestos, a polícia também pediu aos manifestantes que usassem alguma proteção no nariz e na boca, já que o distanciamento mínimo não estava sendo mantido. Uma porta-voz da organização afirmou que essa seria o “último recurso” antes que os protestos fossem interrompidos.

Além dos manifestantes contra as medidas restritivas para combate ao coronavírus, também foram às ruas pessoas que protestavam contra a primeira manifestação. Eles levaram cartazes que diziam “máscaras no rosto, fora, nazistas”.

Novas tentativas

Ao saber da interrupção, os manifestantes na Friedrichstrasse protestaram, segundo o jornal “Die Berliner Zeitung”, usando frases como “nós ficaremos aqui” e “nós somos o povo”.

As pessoas se reuniram em outras partes da cidade, mas foram desencorajadas pela polícia. Segundo a organização, não foi mantido, mais uma vez, o distanciamento social.

Um comício previsto para acontecer às 10h30 (horário de Brasília) na Coluna da Vitória, outro ponto turístico da capital alemã, ainda não havia sido cancelado, até a última atualização da imprensa alemã. Os organizadores pediram aos participantes que se espalhassem “por toda Berlim”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

15 − cinco =