O Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, confirmou nesta sexta-feira (13) que o número de internações de pacientes com Covid-19 subiu nos últimos dias. Em nota, a instituição afirma que, entre quinta-feira (12) e a sexta-feira (13), “foram registradas 18 novas internações relacionadas à Covid-19”. O número supera a média de hospitalizações contabilizadas diariamente nas últimas semanas.

O Einstein se junta a outros hospitais privados da capital paulista que verificaram aumento no número de internações por coronavírus nas últimas semanas. À TV Globo, médicos de 14 hospitais particulares da cidade indicaram tendência de alta. O governo de São Paulo, no entanto, nega que um aumento esteja ocorrendo.

“Hoje, são 68 leitos ocupados por pacientes com diagnóstico confirmado para a doença. Da última semana de setembro ao dia 12 de novembro, a média de internações oscilou entre 50 e 55 pacientes infectados pelo SARS-Cov-2”, afirma o Einstein em nota.

O hospital observou também um aumento no número de testes da doença realizados. “Entre 20 e 26 de outubro, a média diária foi de 869 exames, sendo 82 positivos. De 27 de outubro a 02 de novembro, de 867, com 97 positivos. Entre 03 e 09 de novembro, a média foi de 1017, com 155 confirmações.”

média móvel de novas internações por Covid-19 na Grande São Paulo nesta sexta-feira (13) é maior em novembro do que em outubro. Em meados do mês passado, São Paulo chegou ao menor nível da série histórica, iniciada em abril, com 499 internações diárias em 17 e 18 de outubro, e agora, em novembro, o número voltou a subir.

O índice atual é de 596 novas internações por dia, entre casos suspeitos e confirmados de coronavírus, nos sistemas público e privado.

SP - Paciente internado em Guarulhos, na Grande São Paulo, durante pandemia de coronavírus — Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

SP – Paciente internado em Guarulhos, na Grande São Paulo, durante pandemia de coronavírus — Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

Apagão de dados

 

O governo de São Paulo não divulgou nesta sexta o número de mortes por Covid-19 por conta de problemas no sistema de notificação nacional, administrado pelo Ministério da Saúde. A previsão é a de que o sistema volte à normalidade apenas na segunda-feira (16), após o primeiro turno das eleições municipais.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse nesta sexta-feira que há “indícios” de que a pasta tenha sido alvo de ataques cibernéticosNa sexta, a pasta admitiu apenas um “incidente”, sem dar detalhes do problema que afetou por dias a atualização dos dados de casos e mortes por Covid-19 em todo o país.

Tubos de exame de sangue para teste da Covid-19 em Sorocaba, no estado de São Paulo — Foto: Cadu Rolim/Estadão Conteúdo

Tubos de exame de sangue para teste da Covid-19 em Sorocaba, no estado de São Paulo — Foto: Cadu Rolim/Estadão Conteúdo

O estado de São Paulo chegou a ficar cinco dias sem atualizar as mortes por Covid-19 devido aos problemas no sistema. Em nota enviada nesta sexta, a secretaria estadual da Saúde afirma que “mais uma vez não conseguiu fazer o processamento total de dados de Covid-19 por problemas no sistema Sivep do Ministério da Saúde”.

“A instabilidade do sistema federal fez com que nos últimos 7 dias o estado conseguisse processar os dados em apenas 2, impactando diretamente na contabilização dos óbitos da semana epidemiológica 45, que terminou no último sábado, e na atual”, afirma a pasta em nota.

Aumento nos hospitais privados

 

Médicos de 14 hospitais privados da capital apontam crescimento no número de internações por Covid-19 nas últimas semanas. Eles afirmam que a flexibilização está gerando uma nova incidência de casos nos hospitais particulares, especialmente em pessoas que até então estavam isoladas em suas casas.

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (12) o secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn, negou o aumento no número de internações. Representantes do governo também disseram possuir dados para hospitais privados que desmentem o aumento de internações neste segmento. “Nós trabalhamos com números oficiais e estes números oficiais não revelam o que foi exposto pela mídia”, disse.

O médico Marcio Sommer Bittencourt, mestre em saúde pública pela Universidade de Harvard, avalia que, se o governo possui dados específicos para os hospitais privados, eles deveriam ser públicos.

“O governo discorda das nossas análises de aumento de casos internados por Covid-19. Eles têm um banco de internações dos hospitais privados. Que tal ter transparência completa com estes dados para vermos onde erramos?”, questiona.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 + 16 =