O procurador da República Hélio Telho criticou, nesta terça-feira (5/10), a offshore do ministro da Economia, Paulo Guedes. O ministro mantém contas em paraíso fiscal, conforme lista revelada pelo consórcio internacional de jornalismo investigativo (ICIJ), do qual fazem parte no Brasil o Metrópoles, a Revista Piauí, a Agência Pública e o jornal Poder360.

“O responsável pela política econômica de um país manter suas economias em paraíso fiscal no estrangeiro é como o técnico de futebol que aposta dinheiro na vitória do time adversário, né não?”, escreveu o procurador no Twitter. Veja o post:

O presidente do Banco Central, Campos Neto, também tem negócios fora do país. Em resposta, Guedes e Campos Neto afirmam que declararam à Receita Federal a existência dessas empresas fora do domicílio fiscal. Apesar da prática não ser considerada ilegal, abre questionamentos sobre a transparência dos negócios.

Na segunda-feira (4/10), a Procuradoria-Geral da República (PGR) decidiu instaurar investigação preliminar sobre a empresa offshore aberta em um paraíso fiscal pelo ministro da Economia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quinze − 10 =