Três dos pré-candidatos a 3ª via nas eleições presidenciais de 2022 prometeram nesta 5ª feira (7.out.2021) recuar e dar apoio ao que tiver maior chance de emplacar. O compromisso dos governadores Eduardo Leite (RS) e João Doria (SP), que disputarão as prévias do PSDB em novembro, seguiu a iniciativa do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM).

Foi selado durante o 14º Encontro de Líderes, promovido pela Comunitas em São Paulo. Em viagem pela Europa, Leite participou por meio de videoconferência.

Em princípio, essa decisão será tomada a partir de abril, quando os que exercem funções públicas terão de deixar definitivamente ou se afastar de seus cargos. Nesse momento, o candidato tucano estará definido. Espera-se também a escolha feita por outros partidos, como o União Brasil, resultante da fusão do DEM com o PSL.

Assista ao evento (4h32min09s):

A promessa dos 3 pré-candidatos veio acompanhada pela disposição de 2 deles de ir às ruas fazer campanha pelo escolhido. “A senha é: quem quer apoio tem de querer dar apoio. Aqui, todos estamos”, disse Mandetta. “Eu vou estar no viaduto do Chá distribuindo santinhos”, completou.

“Estaremos juntos não só pela 3ª via, mas pela melhor via”, afirmou Doria, que não mencionou a distribuição de folhetos se não conquistar o posto.

“Eu estarei de bandeira na mão na rua, com santinhos. Eu me curvo à candidatura que mais se conecte com o sentimento popular”, disse Leite.

Durante esse encontro no palco, os 3 pré-candidatos distanciaram-se do debate. As poucas críticas tiveram como alvo apenas o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Cada um se apresentou como opção liberal, mas com preocupação social. Leite chegou a mencionar frase da ex-premier britânica Margareth Thatcher, conservadora que impôs uma severa agenda liberal ao país.

E todos se comprometeram a adotar agenda de meio ambiente e sustentabilidade responsável –em oposição à condução do atual governo.

A convergência dos concorrentes à ideia de apoio comum ao escolhido como 3ª via parte da exposição de Paulo Hartung. O ex-governador do Espírito Santo defendeu que, em abril, os pré-candidatos e partidos derrubem os “muros da vaidade e dos projetos pessoais” em prol de um nome capaz de disputar o eleitorado com Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Os 3 mencionaram frase similar.

Coube ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), expor o perfil mais afinado a um candidato da 3ª via em 2022. “É preciso que tenha a convicção da simplicidade. O cidadão não tolera mais quem parece saber de tudo”, disse. Contou em seguida a resposta de um eleitor do interior de seu Estado à sua pergunta sobre as candidaturas de Lula e Bolsonaro. “Eles não deram certo”, teria dito.

Presente por videoconferência, a ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que garante a “confiabilidade e a auditabilidade total” das eleições de 2022. Ela retornou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que presidiu durante as eleições municipais de 2012, como ministra substituta e será titular no ano que vem. “As urnas são seguras.”

Afirmou que a construção do sistema de voto eletrônico se deu “sem improvisos e paulatinamente, em respeito aos cidadãos”. Também sublinhou que a Justiça, na administração de eleições, não trabalha a cada 4 anos.

 

Fonte: poder360

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × 1 =