O Bispo Diocesano de Cajazeiras, Dom Francisco de Sales, emitiu no fim dessa sexta-feira, 19, uma Carta aos fiéis católicos cajazeirenses comunicando a decisão de suspender temporariamente as celebrações presenciais nas Paróquias da cidade.

A deliberação está em conformidade com o Decreto Nº 013/2021, do Poder Executivo Municipal, e se deu após reunião com os padres das Paróquias Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora de Fátima, Sagrada Família, São João Bosco e São José Operário.

Dom Francisco de Sales inicia a carta destacando as ações da Diocese no combate à pandemia: “Nossas Paróquias, na cidade de Cajazeiras têm buscado seguir as diretrizes pastorais emanadas pela Diocese para o enfrentamento da covid-19, reduzindo a 30% a ocupação dos espaços durante dos atos litúrgicos; a determinação do uso obrigatório de máscara; a higienização com álcool em gel a 70%; a cuidadosa limpeza e desinfecção dos ambientes e a multiplicação dos horários das celebrações eucarísticas para facilitar a segura participação dos fiéis”.

O Bispo reafirma ainda o compromisso da Igreja no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus: “[…] não hesitamos em tomar decisões com o escopo de colaborarmos efetivamente para amenizar a crise em curso. A possibilidade de suspensão temporária de atividades presenciais já era prevista nas diretrizes por nós emanadas”.

Segundo o documento, “as Igrejas continuarão abertas durante o dia para a oração pessoal dos fiéis, como também será mantido o expediente nas secretarias paroquiais. As celebrações serão transmitidas através dos meios de comunicação à disposição em cada Paróquia”.

Em outro trecho, Dom Francisco de Sales diz que qualquer medida tomada neste tempo de emergência surtirá efeito somente “se todos os atores da vida social assumirem responsavelmente sua parte, pois poderíamos cair no risco de marginalizar alguns espaços e instituições, como se fossem ambientes “escolhidos pelo vírus” para sua propagação, deixando fora das medidas e exigências outros ambientes onde visivelmente os riscos são maiores”.

Ao final da carta, o Bispo reitera a solidariedade aos sofrem e experimentam a dor neste tempo difícil. “[…] recordamos que, neste drama, a vida tema a última palavra, e que este tempo, mesmo sombrio, está povoado por centelhas de esperança para as quais devemos mover o nosso olhar e o nosso coração. Que a Virgem Mãe da Piedade, “vida, doçura e esperança nossa”, guie-nos, como estrela luminosa, em nossa travessia”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × 2 =