Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

O diretor técnico do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), Dr. Pedro Augusto, fez na manhã desta sexta-feira (05), um alerta sobre um discreto aumento de casos graves de pacientes com Covid registrado neste começo de semana. “Observamos um aumento de casos de atendimentos e de doentes na fase aguda da doença, com alguns deles precisando ser internados. Há cerca de 15 dias, no Centro Covid de Patos, eram atendidos uma média de quatro  a cinco pacientes confirmados e no último final de semana esse quantitativo chegou a 36 pacientes que testaram positivo para a doença. Então fica evidente que a pandemia não acabou”, alertou Dr. Pedro.

Segundo o médico, no Complexo de Patos, que em outubro tinha uma média de três e cinco pacientes internados, somando leitos de enfermarias e UTI, e essa semana já registra sete pacientes somente na UTI. “A demanda subiu e nós tivemos que reativar mais leitos de UTI que estavam disponíveis, mas, por falta de pacientes não estavam sendo usados”, destaca o médico, lembrando que a unidade dispõe de 32 leitos de UTI Covid, sendo 11 em processo de utilização e os demais leitos de prontidão, mais 34 leitos de enfermarias clínicas Covid.

“Não devemos relaxar nas medidas de proteção de uso de máscaras, de evitar aglomerações, de lavar as mãos com frequência, enfim, a pandemia não acabou, o vírus ainda circula”, afirmou Dr. Pedro, observando que esse aumento do número de testes positivos pode ter sido pela ampliação da testagem. “Ainda é cedo para afirmar que há uma nova onda de contágio, mas, o fato é que houve esse aumento de demanda de casos graves, principalmente, de pessoas que ainda não se vacinaram ou que não estão ainda totalmente imunizadas com as duas doses e ficamos em alerta. Esperamos que isso não volte a acontecer nestes próximos dias”, finalizou Dr. Pedro.

O diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, reitera que não há motivo para a população se assustar, mas, também não se pode relaxar agora nos cuidados preventivos. Segundo ele, o hospital além dos leitos que estão disponíveis, a unidade tem ainda outros leitos que caso haja necessidade podem ser reativados para destinação de pacientes Covid. “Não desativamos leitos e os que não estão sendo utilizados por falta de demanda, caso haja um aumento de internações, podemos reativar imediatamente”, finalizou o diretor.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

15 + dezesseis =