O delegado Sylvio Rabelo, responsável pela investigação do assassinato do empresário Geffeson de Moura, de 32 anos, em Santa Luzia, no Sertão da Paraíba, disse ao ClickPB que solicitou diferentes exames para a elucidação do caso. Foram solicitados exames no corpo da vítima, no veículo dele, exame de DNA, e também nas armas apreendidas, tanto a que é apontada como sendo de Geffeson em suposta reação à Polícia Civil de Sergipe, quanto as dos policiais sergipanos.

Geffeson foi assassinado durante operação da Polícia Civil de Sergipe, em Santa Luzia, no Sertão da Paraíba, na madrugada dessa quarta-feira (17). A Polícia Civil de Sergipe alega que rapaz reagiu e estava armado. A família questiona a versão de que o empresário tinha uma arma e a forma como ele foi deixado no chão, na porta de uma maternidade em Santa Luzia.

O pai e o tio de Geffeson alegaram que ele nunca deu trabalho e não escondia suas atitudes. A família quer justiça e investigação dos fatos.

O delegado informou ao ClickPB que ainda não foi divulgado resultado da perícia. O tio chegou a adiantar, hoje (18) ao programa Arapuan Verdade, que Geffeson foi baleado com cinco tiros, sendo a maioria na cabeça.

O inquérito policial sobre o caso possui prazo legal de 30 dias para ser concluído, mas poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade das investigações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × um =