Uma delegada negra alega ter sido barrada na entrada de uma loja em Fortaleza e denuncia racismo por parte do segurança do estabelecimento. Na noite deste domingo (19), a Polícia Civil obteve autorização da Justiça e apreendeu equipamentos de registro de vídeo do estabelecimento para investigar o caso.

A delegada que afirma ter sido barrada, Ana Paula Barroso, é diretora-adjunta do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis, da Polícia Civil do Ceará.

O inquérito policial que investiga o suposto crime foi instaurado na Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza. O mandado judicial teve como objetivo apreender todos os equipamentos de registro de imagens da loja, localizada no Bairro Edson Queiroz.

Delegada Ana Paula Barroso denuncia loja por racismo após ter sido barrada — Foto: PCCE/Divulgação

O caso ocorreu na terça-feira (14), quando a delegada Ana Paula Barroso foi impedida de entrar no estabelecimento comercial por um funcionário, sob a alegação de “questões de segurança”.

A Polícia Civil informou que, mesmo questionando e pedindo mais explicações acerca da conduta do funcionário, ela recebendo sem permissão para entrar no local.

Loja recusou fornecer imagens

Após a denúncia, foram requisitadas imagens das câmeras de segurança da loja, mas o estabelecimento se recusou a fornecer o material, conforme a Secretaria da Segurança do Ceará.

Por conta da negativa, houve a representação pelo mandado de busca e apreensão junto ao Poder Judiciário. Com a decisão deferida, os policiais civis foram até a loja para dar cumprimento a busca e apreensão. O material subsidiará as investigações que estão em andamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito + 16 =