O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), rebateu ontem, durante o programa ‘Conversa com o Governador’, veiculado na Rádio Tabajara, em João pessoa, fake news relacionadas à pandemia no estado e ressaltou que a administração estadual está ampliando os leitos para pacientes com covid-19 na Paraíba. João Azevêdo se referia à fala do prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), durante uma live no último domingo (7), onde o gestor campinense acusou a Secretaria Estadual da Saúde de ter reduzido leitos no município de João Pessoa. Sobre esse tema o portal, buscou dados oficiais de transferência de recursos federais para o Estado, PMCG e PMJP, no ano de 2020, onde revelam que a Secretária de Saúde de Campina recebeu proporcionalmente mais recursos que a mesma pasta referente do Governo do Estado, neste ano.

“Nada melhor do que a verdade para combater mentiras e fake news. No dia 6 de agosto do ano passado, tínhamos 193 leitos de UTI e 273 de enfermaria. Hoje temos 212 leitos de UTI e 281 de enfermaria e vamos abrir mais. Então, dizer que João Pessoa ou o estado não fizeram o seu papel de abrir leitos e que estariam sobrecarregando outras regiões é uma grande mentira que precisa ser combatida”, enfatizou o governador. Ainda durante o programa, João Azevêdo ressaltou a importância de levar a pandemia a sério e colocar as vidas dos paraibanos acima dos interesses políticos. “Não é hora de politicagem, de palavras soltas e de efeito para agradar alguns. Não adianta jogar para debaixo do tapete a realidade que é muito cruel. As mortes não são apenas números, são avós, pais, mães, irmãos, homens e mulheres queridos que perdemos e que dói no coração de todos”, disse.

“O índice de transmissibilidade não é calculado pela Secretaria da Saúde, é pela UFPB”, disse Geraldo Medeiros, sugerindo que Bruno Cunha Lima procure o Departamento de Estatística da universidade para compreender porque “Campina Grande tem a maior taxa de letalidade e o maior índice de propagação no Estado”, afirmou numa emissora de rádio.

A VERDADE SOBRE RECURSOS – No ano de 2020, enquanto o Governo do Estado recebeu de recursos federais assegurados por lei, exatos: R$ 329.615.761,33 para administrar o sistema público de saúde do estado, que detém cerca de 20 hospitais regionais, todos dando também suporte pacientes vítimas da Covid-19. A prefeitura de Campina que detém de somente um hospital de referência a pacientes com Covid-19, o Hospital Pedro I, recebeu exatos: R$ 309.239.376,79. Segundo esses dados, os valores repassados pelo Governo Federal para o Estado, não comportaram a demanda, cabendo ao governador João Azevêdo, fazer a complementação dos recursos, para atender as 223 cidades paraibanas.  Já a capital recebeu do Governo Federal exatos: R$ 571.900.314,14, também sendo esse maior que o Estado.

Veja a tabela em anexo que revela os totais de transferências feitas, para os serviços de assistência farmacêutica; atenção básica; média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar; atenção especializada; coronavírus; gestão SUS e vigilância a saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × dois =