A CPI da Pandemia vai ouvir nesta quarta-feira (5) o ex-ministro da Saúde Nelson Teich, que será questionado se Jair Bolsonaro pressionou o Ministério da Saúde para a recomendação de cloroquina e hidroxicloroquina como prevenção para a Covid-19.

Teich deixou o cargo em maio do ano passado e disse que não iria “manchar” a sua história por causa da cloroquina. O medicamento não têm comprovação científica no tratamento contra a doença.

Caminho dado por outro ex-ministro
Em depoimento nessa terça-feira (4), o ex-titular da pasta Luiz Henrique Mandetta lembrou que, no enfrentamento de outras doenças, a droga é utilizada em ambiente hospitalar. O ex-ministro disse ainda desconhecer por que o Laboratório do Exército tenha intensificado a produção dos comprimidos no ano passado.

Ele confirmou que recebeu, numa reunião no Planalto, um decreto elaborado pela Presidência de República que mudava a bula da cloroquina inserindo recomendação do uso do medicamento contra Covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

nove − oito =