A CPI da Covid-19 aprovou, nesta terça-feira (5/10), requerimento com questionamentos ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, como alternativa à realização de seu depoimento ao colegiado. A oitiva não deve ocorrer até a entrega do relatório da comissão, prevista para ocorrer em 19 de outubro.

Entre os questionamentos, a CPI quer saber qual a justificativa técnica apresentada pelo Ministério da Saúde para descontinuidade do uso da Coronavac no próximo ano. Conforme noticiado pelo Metrópoles, a pasta prepara abandono da vacina a partir de 2022. Não há intenção do governo federal em adquirir novas doses do imunizante.

O requerimento ainda cobra que Queiroga detalhe, em 48 horas, o plano nacional de imunização a ser executado no ano de 2022; o programa de acompanhamento epidemiológico em substituição ao Epicovid; e o apontamento dos membros da equipe técnica do contexto da pandemia responsáveis pela formulação de políticas públicas.

Autor do requerimento, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) cobra também que o ministro informe a atual composição da câmara técnica em imunização.

Nesta terça, a comissão ouve um dos sócios da empresa de logística VTCLog, Raimundo Nonato Brasil. Na sessão, as principais perguntas dos senadores dizem respeito à relação de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde apadrinhado por lideranças do Centrão, em contrato entre a empresa e o Ministério da Saúde.

A suspeita de possíveis irregularidades surgiu durante o depoimento de Ivanildo Gonçalves, motoboy da VTCLog, que confirmou ter feito saques e ter pagado boletos de Dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três × dois =