O secretário Executivo de Saúde do Estado da Paraíba, Daniel Beltrammi, comentou, nesta segunda-feira (14), a nova classificação dos municípios no Novo Normal na Paraíba. De acordo com Baltrammi, o Agreste do estado, região da Borborema, tem chamado atenção. “Nunca tínhamos visto uma situação tão significativa de piora”, destacou em entrevista a uma emissora de TV da Capital.

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) apontou que no domingo (13), Campina Grande foi o município paraibano com maior número de casos novos. O gestor lembrou que foram mais casos do que João Pessoa que tem mais habitantes e pediu que as pessoas não descuidem das medidas de proteção. “Não pode encarar de frente um inimigo tão implacável como a covid-19. Se usar máscara e ficar distante não contrai”, disse.

A respeito dos números de ocupação de leitos divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o secretário afirmou que “nos últimos três meses foram praticamente 1 mil vidas perdidas a cada 30 dias. Não podemos nos acostumar. Covid-19 pega de surpresa, começa com um resfriado e já temos oito mil famílias que tiveram a dor de experimentar a perda de alguém”, alertou. A taxa de ocupação na Região Metropolitana chega a 73%, em Campina Grande, estão ocupados 73% dos leitos de UTI adulto e no sertão 90%.

Novas doses

O secretário explicou que são esperadas doses da vacina da Janssen, que é dose única, até 16 de junho e acredita que até o fim da semana já será distribuída para os estados. “Pedimos que não deixem de tomar a vacina, nãotem problema que tenha algum efeito por dois ou três dias”, comentou.

Além da Janssen, Beltrammi lembrou que o Brasil discute também a aprovação da Covax, que é parecida com a Coronavac e a vacina do instituto Gamaleya, a Sputnik V. “Ambas estão em processo de aprovação pela Anvisa, para que possamos ter sete vacinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × 5 =