O Coordenador do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) na Paraíba e citado na Operação “Poço Sem Fundo”, Alberto Gomes, em nota enviada à imprensa nesta quarta-feira (25), garantiu que nunca respondeu a qualquer processo criminal ou cível.

“Não houve apreensão de um único centavo na minha residência, tendo eu, embora surpreso, recebido os agentes de maneira absolutamente tranquila, colocando-me à disposição para imediatamente prestar esclarecimentos, e apresentei espontaneamente meu aparelho celular e um notebook”, relatou.

No documento, ele ainda afirma que não tem qualquer relação com o ex-Deputado Benjamin Maranhão e que há mais de oito anos não tem sequer contato com o parlamentar. “Tampouco sou seu ‘apadrinhado’, e não fui indicado por ele para ocupar o referido cargo”.

Operação

A Polícia Federal, juntamente com o Ministério Público Federal e a Controladoria-Geral da União, deflagrou na manhã desta quarta-feira (25), a operação Poço sem Fundo, que apura a prática de crimes relacionados ao desvio de recursos públicos destinados à perfuração de poços e implantação de sistemas simplificados de abastecimento de água no Estado da Paraíba.

A investigação aponta para o direcionamento de contratos firmados entre as empresas investigadas, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a Prefeitura de Araruna, mediante procedimentos de dispensa de licitação, cujos contratos giram em torno de R$ 54 milhões.

Sinaliza também para a prática de superfaturamento dos contratos, atos de corrupção passiva e ativa, e de lavagem de dinheiro mediante a utilização de contas bancárias de empresas interpostas para dissimulação de movimentações financeiras.

A operação conta com a participação de 70 Policiais Federais e de 7 Auditores da Controladoria-Geral da União e estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa/PB, Araruna/PB e Parnamirim/RN, além de ordens de indisponibilidade de bens e afastamento de 4 servidores públicos federais de suas funções.

Redação com assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezenove + treze =