O resultado das eleições para o Legislativo ontem, em Campina Grande, mostra que nem sempre as investigações e operações policiais de combate a fraudes interferem, diretamente, no voto do eleitorado. Um exemplo disso é a reeleição do vereador campinense Renan Maracajá (Republicano), um dos 16 condenados em primeira instância na Operação Famintos, que investiga fraudes em licitações da merenda escolar.

Renan, que em 2016 foi o vereador mais votado de Campina Grande, este ano foi reeleito com 2.608 votos. Ficou em 14º no ranking entre os mais votados.

O vereador recorreu da decisão da 4ª Vara da Justiça Federal e espera reverter a condenação junto ao Tribunal Regional Federal (TRF5).

Nas urnas, ele já conseguiu vencer. A reeleição garantirá mais quatro anos no Legislativo Municipal.

A reeleição de Renan é um atestado de que, nem sempre, o eleitorado leva em consideração aquilo que é dito pelos órgãos de persecução penal. Muitas vezes, outras narrativas acabam tendo maior relevância na hora de escolher os candidatos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 − 1 =