Comerciantes, empresários e representantes de setores econômicos do Distrito Federal realizam na manhã deste domingo (28), uma manifestação contra o decreto do governador Ibaneis Rocha, que determinou lockdown no DF por 15 dias com a suspensão de diversas atividades consideradas não essenciais.

O grupo iniciou a concentração do movimento em um centro comercial no Lago Sul, região nobre de Brasília, onde mora o governador. Na sequência, o grupo fez uma carreata até a residência de Ibaneis. Na segunda-feira (1°), às 11h, está programada uma nova manifestação em frente ao Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal.

 

O governador do DF editou, no sábado (27), um decreto suspendendo todas as atividades e o funcionamento de estabelecimentos comerciais e industriais até o dia 15 de março, para conter o avanço do novo coronavírus. A medida foi tomada após um aumento de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Só estão autorizados a manter o funcionamento no DF supermercados, hortifrutigranjeiros, mercearias, padarias, postos de combustíveis, farmácias, hospitais, clínicas e consultórios médicos e odontológicos, laboratórios, clínicas veterinárias e comércio atacadista.

Além destes, ainda podem funcionar as lojas de conveniência e minimercados em postos de combustíveis, exclusivamente para a venda de produtos; serviços de fornecimento de energia, água, esgoto, telefonia e coleta de lixo; lojas de material de construção, além de igrejas e templos religiosos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

onze − 8 =