O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, sustenta que a imunização permitirá reativar setores da economia ao proteger a saúde dos brasileiros e afastar o risco da doença, o que, consequentemente, levará ao retorno dos brasileiros às atividades diárias, assim como a recuperação do consumo e dos investimentos. À medida que a vacinação for avançando, prossegue a nota da CNI, as incertezas econômicas, políticas e sociais relacionadas à pandemia se dissiparão.

Foto: Reprodução/TV Brasil

“A confiança trará novo fôlego ao consumo e à produção, o que acelerará a recuperação das perdas deixadas por esta que é uma das mais graves crises sanitária e econômica enfrentadas pela humanidade”, afirma Andrade.

Ele acrescenta que a redução das incertezas a partir da vacinação permitirá ao País concentrar esforços nas ações necessárias para alcançar um ciclo de crescimento sustentado.

A CNI prevê crescimento de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, com a indústria crescendo 4,4%.

A confederação da indústria cita uma reforma tributária “ampla” e a modernização de marcos regulatórios entre as iniciativas necessárias para o País reduzir o custo de produção, melhorar o ambiente de negócios e, dessa forma, voltar a atrair investimentos.

A entidade também defende o reequilíbrio das contas públicas, com a manutenção do teto de gastos, como o caminho para elevar a confiança dos investidores e reduzir as pressões tanto sobre os juros quanto sobre a capacidade do Estado de investir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × 2 =