O novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, tomou posse no cargo nesta quarta-feira, 4, prometendo ser um “amortecedor” para o governo do presidente Jair Bolsonaro.

 

Em seu discurso, Nogueira afirmou que teria sido fácil não aceitar o desafio de integrar o governo em um momento em que tudo está difícil, mas não teria sido certo. O novo ministro disse ainda que no cargo seu nome será temperança e o sobrenome terá que ser equilíbrio.

 

Segundo Nogueira, é obrigação do governo conduzir o País da forma certa até as eleições de 2022. “Vamos ajudar o Brasil a dar sinais certos para onde estamos indo, o primeiro deles, não tenho dúvida, é de que a democracia é líquida e certa. Difícil por natureza, mas é a coisa certa”, afirmou Nogueira.

Novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira
27/07/2021
REUTERS/Adriano Machado
Novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira 27/07/2021 REUTERS/Adriano Machado

Foto: Reuters

O novo ministro também ressaltou que em breve o Brasil terá toda a população alvo imunizada contra a covid-19 e com o País pronto para crescer.

“Estamos cruzando o cabo das tormentas: das tormentas políticas, das tormentas sociais, econômicas e institucionais”, declarou. Entre os focos da pasta, Nogueira destacou a ampliação do Bolsa Família, programa de assistência social que o governo estuda aumentar até o fim deste ano do atual benefício médio de R$ 190 para o mínimo de R$ 300 ou R$ 400.

“Existe o Brasil e os problemas que temos de enfrentar: fome e miséria”, disse. “Não temos vergonha de falar em desigualdade social, temos vergonha que apesar dos que nos antecederam, ela continue existindo. Por isso, o governo do presidente Jair Bolsonaro lançará um ambicioso e amplo programa social com valores ainda mais altos de seus benefícios”, completou o ministro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × três =