Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Autoridades da China determinaram o confinamento de milhares de pessoas no norte do país e pediram aos habitantes da capital que limitem os deslocamentos após novos casos de Covid-19. A medida foi anunciada nesta segunda-feira (25), a apenas 100 dias do início dos Jogos Olímpicos de Inverno, que acontecem no ano que vem em Pequim.

A China identificou 39 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas – na semana passada, haviam sido mais de 100 em sete dias. Muitos dos contágios estão relacionados a deslocamentos de viajantes.

Os novos focos da infecção foram detectados em 11 províncias, a maioria na região norte da China como Ejin e Lanzhou. Em Ejin (Mongólia Interior), 35 mil pessoas foram confinadas a partir por duas semanas. Em Lanzhou (Gansu), serviços de ônibus e táxi foram suspensos, e houve fechamento das atrações turísticas.

O governo chinês, que adota uma política de “tolerância zero” contra o vírus, reagiu rapidamente com a imposição de restrições, assim como a organização de campanhas de teste nas regiões afetadas. As autoridades tentam conter os contágios do vírus com testes em larga escala e confinamentos direcionados.

Pequim, cidade sede dos Jogos de Inverno, pediu aos moradores que evitem viagens não essenciais e reuniões e festas com aglomeração.

A China conseguiu reduzir drasticamente os contágios de Covid-19 após ser considerada epicentro da epidemia com uma campanha agressiva de testes e um rígido controle das fronteiras.

Além disso, quem vem de uma região com surto ativo de Covid-19 dentro do país deverá apresentar um teste negativo para entrar na capital, anunciaram as autoridades.

No domingo (24), as autoridades já haviam anunciado a suspensão das viagens turísticas organizadas a áreas onde casos de Covid-19 foram registrados, incluindo Pequim.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × dois =