Para marcar os dois anos de atividades em João Pessoa, o Centro de Atendimento ao Autista (CAA), realizou uma programação inclusiva, nessa quarta-feira (23), com um passeio ao Parque Arruda Câmara (Bica). Crianças, pais e profissionais do serviço participaram de trilhas de visitação aos animais, brincadeiras e um lanche coletivo.

O CAA desenvolve um serviço de eficiência no atendimento clínico gratuito para pessoas com autismo, contemplando as principais abordagens da área terapêutica (Nutrição; Terapia Ocupacional; Fisioterapia; Psicomotricidade; Psicologia; Fonoaudiologia; Educação Física).

O serviço é disponibilizado pelo Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), administrado pela Casa Pequeno Davi – organização da sociedade civil -, com o apoio técnico da Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad). Em dois anos, o Centro beneficiou mais de 700 famílias. Atualmente, são 306 pessoas de 36 cidades da Paraíba em atendimento.

O passeio ao Parque Arruda Câmara aconteceu na perspectiva de estimular a interação social, fortalecer os vínculos entre profissionais, família e usuários e a inclusão social nos diferentes espaços públicos. Além da equipe técnica do CAA, a visita foi acompanhada de um profissional da equipe de Educação Ambiental da Bica.

A coordenadora técnica do CAA-JP, Camila Carneiro, relatou que a visita ao Parque da Bica foi ideia da equipe e dos familiares. “Nós planejamos a ampliação destas ações com atividades externas contemplando, para além da recreação, mas especialmente contextos diários como praia, piscina, teatro, shopping, cinemas, supermercados, parques, praças, feiras livres e outros eventos”.

“Consideramos extremamente importante trabalhar a orientação familiar em consonância com a estimulação interna e externa ao espaço de atendimento, porque precisamos aproveitar as inúmeras possibilidades de desenvolver habilidades em todos os aspectos, assim como, a inclusão das pessoas com autismo e suas famílias nos espaços públicos devem ser sempre uma prioridade”, enfatiza a coordenadora técnica.

A assistente social Daniele Bastos de Lima é mãe do pequeno Lucas Gabriel, 5, aluno do ensino infantil. Ele foi diagnosticado com Transtorno do Espectro Autista (TEA), suporte 1, e conta com atendimento do CAA.

Daniele ressaltou que atividades de recreação são muito importantes. “O Lucas vive muito sozinho, por ser filho único, então esta socialização, estes passeios do Centro, são muito importantes porque ele aprende na convivência com outras crianças a conviver com as diferenças. Por isso é muito válido, por contribuir muito para a evolução do meu filho”, comemora.

Daniele ainda lembra que, desde os dois anos, percebia que Lucas tinha uma fixação por objetos que giravam, ventilador, por exemplo. “Procurei muitas vezes os profissionais na busca por diagnóstico, e ouvia como resposta: ‘você está buscando doença para seu filho’. Foi quando encontrei uma profissional que me encaminhou até a Funad, e lá ele foi diagnosticado com TEA, suporte 1”.

Serviço:
Centro de Atendimento ao Autista

Endereço: Rua Bom Jesus, 649, no bairro do Varjão, em João Pessoa

Funcionamento: De segunda a sexta-feira, nos turnos manhã (7h30 às 11h30) e tarde (13h às 17h).

Especialidades: Nutrição; Terapia Ocupacional; Fisioterapia; Psicomotricidade; Psicologia; Fonoaudiologia; Profissionais de Educação Física e Serviço Social

Acesso: Encaminhamento da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência – Funad (de acordo com a disponibilidade de vagas)

MaisPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × quatro =