247 – Uma greve geral de servidores municipais, estaduais e federais está sendo convocada por centrais sindicais para o dia 18 de agosto. A principal reivindicação é a anulação da reforma administrativa proposta pelo governo Bolsonaro.

Algumas mobilizações já ocorrem nesta terça-feira (3), a partir das 8h na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Às 12h está programada uma concentração no pátio do Museu Nacional. Às 14h, haverá uma passeata.

Entre os organizadores da paralisação, estão a CUT (Central Única dos Trabalhadores), CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil) e CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil). Segundo as centrais, a mobilização ocorrerá em todo o país.

 

“A reforma administrativa é muito mais danosa à população do que aos próprios servidores. Na essência, a PEC 32 vai reduzir a capacidade do Estado em políticas públicas básicas como saúde, saneamento e educação. Tudo isso vai para o setor privado, que não vai prestar serviço gratuito. Só quem pode pagar vai ter acesso, e a maioria da população não tem dinheiro para pagar”, disse Pedro Armengol, diretor da CUT e da Condsef (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal).

O protesto também é contra as privatizações dos setores estratégicos. Outras pautas são a ampliação do auxílio emergencial, o alto índice de desemprego no país, a oferta maior de vacinas contra a Covid-19 e o impeachment de Jair Bolsonaro. (Com informações do UOL).

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez − cinco =