O advogado de acusação da família de Patrícia Roberta, Robério Capistrano, durante entrevista exclusiva ao programa 60 minutos, do Sistema Arapuan de Comunicação, deu detalhes sobre a audiência de instrução do caso que aconteceu nesta sexta-feira (24), no 2º Tribunal do Júri do Fórum Criminal de João Pessoa. Segundo ele, doze testemunhas de acusação foram ouvidas, porém, o pai de Patrícia não estava entre elas.

Outro ponto apontado pelo advogado foi que nenhuma testemunha de defesa foi ouvida e durante todo interrogatório, Jonathan Henrique, principal suspeito, permaneceu em silêncio. Ele citou ainda que “provas robustas” foram apresentadas contra o suspeito.

“A primeira prova é ele na moto com o corpo da vítima. A outra é a testemunha da frente onde ele mora que viu ele saindo com o corpo dentro do balde e o corpo caindo do carro de mão. Após isso ele saiu em linha reta na direção do matagal. Ela pediu, inclusive, para ser ouvida na frente dele e apontou o dedo”, disse ele.

Robério Capistrano apontou que existem provas do envolvimento de uma outra pessoa no crime. “Eu acredito como dois mais dois são quatro que tem outra pessoa, na verdade a gente já sabe e foi comunicado ao Ministério Público. Pode haver uma outra denúncia e a pessoa que está envolvida foi inclusive ouvida hoje. Ela estava entre as doze que foram ouvidos. Ela mentiu, disse que não tinha envolvimento”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × quatro =