A polícia apreendeu um anel que pertenceria a mãe do menino Gael de Freitas Nunes, 3 anos, e a perícia apontou ferimentos que podem ter sido causados pelo objeto na testa da criança. Gael foi morto na segunda-feira (10), no apartamento onde morava com a família, no bairro da Bela Vista, na região central de São Paulo.

 

O pai afirmou à polícia ser separado da mãe há seis meses. Ele disse também que, no fim de semana, a criança não aparentava nenhuma anormalidade. Ele, juntamente com os vizinhos podem ser ouvidos novamente pelos policiais para dar mais detalhes sobre as circunstâncias da morte.

O depoimento de Andréia, mãe de Gael, encontrado morto dentro de apartamento, no bairro da Bela Vista, na região central nesta segunda-feira (10), durou mais de cinco horas. A mãe de Gael chegou por volta de meia-noite desta terça-feira (11) na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher e deixou o local às 5h15 em uma viatura descaracterizada.

Segundo informações preliminares dadas por investigadores, a mãe descreve como foi todo o dia da família. Porém, nos minutos antecedentes da morte de Gael, a mulher para de falar.

Os policiais conversaram cerca de uma hora com o porteiro do prédio e também buscaram por imagens de câmeras de segurança do condomínio, que possam mostrar possíveis movimentações da família.

Andréia foi encontrada em estado de choque no apartamento. Ela foi socorrida e encaminhada ao Hospital do Mandaqui, onde ficou internada sob escolta policial.

Após receber alta médica, a suspeita foi encaminhada à delegacia, onde prestou depoimento por mais de cinco horas. Posteriormente, Andréia foi levada ao Instituto Médico Legal (IML) Sul, passou por exames e foi encaminhada à carceragem do 89° Distrito Policial do Portal do Morumbi.

Internações

A mãe de menino de 3 anos encontrado morto dentro de apartamento, no bairro da Bela Vista, na região central, já foi internada quatro vezes por distúrbios mentais. A informação foi confirmada pela tia avó de garoto Gael de Freitas Nunes, Maria Nanete de Freitas, que estava no apartamento da família, quando o menino morreu.

Maria disse em depoimento na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher, que os problemas psiquiáricos começaram quando a mãe do menino passou a tomar remédios para emagrecimento. A tia-avó de Gael, no entanto, afirmou que não tinha conhecimento que a mãe do menino estivesse passando por tratamento atualmente.

Maria afirmou à delegada que, por volta das 7h30 da manhã da segunda-feira (10), deu mamadeira para Gael e os dois ficaram na sala assistindo televisão. Minutos depois, Gael foi para a cozinha, onde estava a mãe, Andréia. Maria permaneceu na sala e a irmã, do menino, uma adolescente de 13 anos estava no quarto.

A tia-avó contou que ouviu o menino chorar, mas pensou que ele queria o colo da mãe.  Ela chamou, então, o menino para voltar a assistir desenho, mas a mãe respondeu que o filho iria ficar na cozinha. Cinco minutos depois, a tia-avó escutou barulhos fortes de batidas na parede, mas achou que o som era de outro apartamento. Logo depois o menino parou de chorar.

Cerca de 10 a 15 minutos depois, Maria relata ter ouvido o barulho de vidros estilhaçando. Ela foi até a cozinha e encontrou o menino no chão, coberto com uma toalha, em meio a uma poça de vômito. Ela perguntou para a mãe o que tinha havido com Gael, mas a mulher, que parecia estar em estado de choque não disse uma única palavra.

Os policiais militares foram acionados por moradores do prédio. Quando a equipe médica do Samu chegou ao apartamento, Gael estava em parada cardiorrespiratória. A equipe de resgate prestou todos os procedimentos possíveis para reanimar o garoto.

A criança, que apresentava hematomas, morreu no trajeto ao hospital ao pronto socorro da pediatria da Santa Casa de São Paulo, segundo o médico doutor Washington Canedo. A mãe foi levada ao Hospital do Mandaqui, onde passou por uma avaliação psiquiátrica e ficou internada sob escolta policial. O caso foi apresentado na 1ª Delegacia da Mulher, no Cambuci, na zona central de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três + treze =