O caso Expedito Pereira ganhou um novo capítulo. Os três acusados de planejar o assassinato do ex-prefeito de Bayeux, incluindo um sobrinho da vítima, irão a responder pelo crime no júri popular.

A decisão foi proferida nessa segunda-feira (16) pela 1ª Vara do Tribunal do Júri de João Pessoa.

Expedito Pereira foi morto a tiros no dia 9 de dezembro de 2020 enquanto caminhava em uma rua do bairro de Manaíra, na capital paraibana.

Leon Nascimento dos Santos, Gean Carlos da Silva Nascimento e José Ricardo Alves Pereira foram denunciados pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) pela suspeita do planejamento e da execução do crime. José Ricardo, sobrinho de Expedito, é apontado como o mandante do assassinato, segundo investigações.

No inquérito policial, Ricardo foi acusado de querer matar o tio para não repassar valores altos da venda de um imóvel em Bayeux. Segundo a Policia Civil, o sobrinho era quem cuidava da vida financeira do tio Expedito Pereira. Gean é apontado por emprestar a moto usada por Leon, que ficou responsável pela execução.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × cinco =