A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmén Lúcia, determinou que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF) decida sobre a continuidade do inquérito que investiga o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles. Em decisão nesta sexta-feira, 2, ela apontou que o STF não tem mais competência para supervisionar a investigação, já que Salles foi exonerado no dia 23 de junho e perdeu o foro privilegiado. O inquérito foi aberto após uma notícia-crime que acusou o ex-ministro de atrapalhar a Operação Handroanthus, que investigava a maior apreensão de madeira ilegal do país. Agora também cabe ao TRF-1 decidir se os casos relacionados a Salles, como o de empresários e madeireiros, devem ser julgados pela  7ª Vara Federal do Amazonas ou a 4ª Vara Federal do Pará. A questão será analisada pelo desembargador Néviton Guedes, que também decide sobre outras medidas cautelares impostas por Cármen Lúcia, como a apreensão do passaporte do ex-ministro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × 4 =