Ao menos 16 candidatos a prefeito de capitais tiveram ganhos milionários desde os pleitos passados e incrementaram o patrimônio declarado nestas eleições. O levantamento feito pelo G1 considera os candidatos que concorreram em 2016 e 2018 e agora disputam o cargo de prefeito de capital. Os dados são do repositório do Tribunal Superior Eleitoral.

Outros 10 candidatos a prefeito perderam pelo menos R$ 1 milhão desde as eleições passadas. A maior queda foi registrada pelo candidato a prefeito de Goiânia Vanderlan Cardoso (PSD). Ele perdeu quase R$ 12 milhões desde 2018. O patrimônio declarado passou de R$ 26,6 milhões em 2018 (quando foi eleito senador) para R$ 14,7 milhões em 2020.

“Não houve erro na declaração de bens. A queda de patrimônio se deu em razão de sua esposa, Izaura Cardoso, ter assumido o comando das empresas. Com isso, foram realizadas transferência de cotas das empresas Nova Terra Comércio de Alimentos Ltda e VVC Empreendimentos”, diz a nota da assessoria de Vanderlan Cardoso.

.

Patrimônio dos candidatos a prefeito de capitais: candidatos que registraram as maiores variações de patrimônio e também as maiores diferenças de valores — Foto: Aparecido Gonçalves / G1

Patrimônio dos candidatos a prefeito de capitais: candidatos que registraram as maiores variações de patrimônio e também as maiores diferenças de valores — Foto: Aparecido Gonçalves / G1

Evolução de patrimônio

 

O ranking dos que mais aumentaram o patrimônio é liderado por Dr. João Guilherme (Novo), candidato a prefeito de Curitiba. Em 2016, quando disputou o cargo de vice-prefeito, ele havia declarado R$ 3,5 milhões. Agora, os bens somam R$ 13,2 milhões. Ou seja, em quatro anos, o médico aumentou o patrimônio em R$ 9,7 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

18 + 5 =