Os governos do Brasil e dos Estados Unidos assinaram nesta segunda-feira (10) um protocolo adicional ao Acordo de Comércio e Cooperação Econômica bilateral (Atec), criado em 2011. A assinatura aconteceu em cerimônia virtual e fechada.

O acordo, segundo o Ministério das Relações Exteriores, ficou inativo até 2019 – quando foi escolhido como foco da aproximação entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump. Até agora, no entanto, não havia qualquer medida prática em vigor.

O pacote comercial é formado por temas não tarifários, relacionados à cooperação técnica e à troca de experiências. De acordo com o material divulgado pelo Itamaraty, o pacto inclui mecanismos de:

  • facilitação de comércio e cooperação econômica;
  • boas práticas regulatórias, e
  • anticorrupção.

 

“O novo Protocolo também estabelece as bases de futuras discussões para aprofundar e expandir os trabalhos sob o Acordo ATEC. Os dois países buscarão identificar setores prioritários para reduções adicionais de barreiras ao comércio sob perspectiva mais ampla afeta ao relacionamento econômico e comercial bilateral”, dizem os governos em comunicado conjunto divulgado nesta segunda.

Impacto político

 

Em termos políticos, a aproximação entre Brasil e Estados Unidos é usada como plataforma pelos presidentes dos dois países. Em setembro, por exemplo, o governo Jair Bolsonaro renovou uma cota de importação sem taxa do etanol norte-americano (feito de milho) — em troca, recebeu uma cota adicional para exportar açúcar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete + um =