O boletim médico divulgado pelo Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, informou que após avaliações clínicas, laboratoriais e de imagem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), permanecerá internado, mas não deve passar por cirurgia. O presidente enfrenta um quadro de obstrução intestinal e foi transferido de Brasília para São Paulo para a realização de exames e avaliação da necessidade de uma cirurgia de emergência, que foi descartada.

“O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi transferido na noite desta quarta-feira para o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após passar por uma avaliação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e ser diagnosticado com um quadro de suboclusão intestinal. Após avaliações clínica, laboratoriais e de imagem realizadas, o Presidente permanecerá internado inicialmente em tratamento clínico conservador”, diz o texto divulgado pelo hospital.

Bolsonaro chegou a São Paulo às 18h54 dessa quarta-feira (14), num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), no Aeroporto de Congonhas e foi de ambulância para o hospital, onde atende o oncologista e cirurgião gástrico Antonio Luiz Macedo, que cuida de Bolsonaro desde a facada sofrida por ele na eleição de 2018.

Bolsonaro é colocado em ambulância — Foto: Reprodução

Em abril deste ano, Bolsonaro já havia dito que poderia passa por uma nova cirurgia em razão da facada. De acordo com a nota oficial, a constatação da obstrução intestinal foi feita pelo cirurgião gástrico Antonio Luiz Macedo, que acompanha a saúde de Jair Bolsonaro desde o atentado a faca sofrido pelo então candidato nas eleições de 2018.

O médico foi chamado a Brasília em razão da internação do presidente e também deve ficar responsável pela avaliação do quadro após a transferência para São Paulo.

“Após exames realizados no HFA, em Brasília, o Dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência”, diz a nota do Ministério das Comunicações.

No fim da manhã, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, havia informado que Jair Bolsonaro estava “bem” e ficaria “apenas em observação”.

O perfil oficial de Jair Bolsonaro em uma rede social publicou nota na qual ele agradece as orações e disse que enfrenta um novo desafio em decorrência do atentado que sofreu na campanha eleitoral de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

19 + dezoito =