Em mais uma investida anticientificista e antivacina, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro deu uma nova declaração polêmica nessa quinta-feira (17) ao comentar a vacinação contra a Covid-19. O mandatário criticou as regras impostas pela farmacêutica Pfizer para a compra de doses do imunizante produzida por ela.

“Lá no contrato da Pfizer, está bem claro nós (a Pfizer) não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral. Se você virar um jacaré, é problema de você. Se você virar Super-Homem, se nascer barba em alguma mulher aí ou algum homem começar a falar fino, eles não têm nada a ver isso. O que é pior mexer no sistema imunológico das pessoas”, declarou o ex-capitão em discurso feito durante visita a Porto Seguro (BA).

Ao reafirmar que não irá tomar a vacina, o presidente negou que esteja dando um mau exemplo e apesar dos casos cada vez mais frequentes de reinfecção, afirmou que já foi infectado e, por isso, possuiria anticorpos para o vírus.

“Eu não vou tomar [a vacina]. Alguns falam que estou dando péssimo exemplo. Ô imbecil, ô idiota, que está dizendo do péssimo exemplo, eu já tive o vírus, eu já tenho anticorpos. Para que tomar vacina de novo?”, disse.

Enquanto o presidente brasileiro se nega a dar o exemplo, chefes de Estado de outros países, como o presidente argentino Alberto Fernandez, já anunciaram que vão se vacinar para estimular a imunização.

Assista ao vídeo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

19 + 3 =