Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Ao comentar o desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que os dois fizeram “aventura não recomendável” em uma região “completamente selvagem”.

“Realmente, duas pessoas apenas num barco numa região daquela, completamente selvagem, é uma aventura que não é recomendável que se faça. Tudo pode acontecer, pode ser um acidente, pode ser que eles tenham sido executados. Tudo pode acontecer. A gente espera e pede a Deus que eles sejam encontrados brevemente. As Forças Armadas estão trabalhando com muito afinco na região”, declarou o mandatário em entrevista ao SBT, nesta terça-feira (7/6).

O chefe do Executivo nacional lembrou que dois suspeitos de estarem envolvidos no desaparecimento já foram detidos pela Polícia Federal (PF) e estão sendo investigados.

Dom e Bruno se deslocaram para a região com o objetivo de visitar a equipe de vigilância indígena que fica próxima ao Lago do Jaburu. O jornalista pretendia fazer algumas entrevistas com integrantes da comunidade que residem no local.

Eles viajavam com uma embarcação nova, de 40 cavalos, e 70 litros de gasolina, o que seria suficiente para a viagem.

Bruno Pereira está licenciado da Funai e atualmente faz parte do Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente (Opi). Bruno era alvo constante de ameaças pelo trabalho contra invasores que vinha fazendo junto aos indígenas.

Mais cedo, em sinalização internacional, o Ministério das Relações Exteriores divulgou uma nota em que diz que o governo brasileiro tomou conhecimento, “com grande preocupação”, da notícia. O órgão federal cita a possibilidade de crime: “Na hipótese de o desaparecimento ter sido causado por atividade criminosa, todas as providências serão tomadas para levar os perpetradores à Justiça”.

Marinha

A Marinha do Brasil, responsável por conduzir as atividades de busca do indigenista Bruno Araújo e do jornalista Dom Phillips na região, já havia enviado homens e um lancha para o local.

Na manhã desta terça-feira (7/6), um helicóptero do 1º Esquadrão de Emprego Geral do Noroeste, duas embarcações e uma moto aquática também chegaram ao local. “Durante toda a tarde [de segunda-feira] foram realizadas ações nos rios Javari, Itaquaí e Ituí, no interior do Amazonas”, informou a nota da Marinha. No comunicado, o órgão ainda anunciou o uso de helicóptero nas buscas.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezenove + três =