Depois de muito tempo de debate e disputa entre o Nordeste e as usinas do Centro-Sul, finalmente a venda direta de etanol vai sair. O presidente Jair Bolsonaro deverá assinar Medida Provisória (MP) autorizando o movimento, até que seja apreciado na Câmara.

Alexandre Lima, presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), acaba de confirmar a disposição do governo, dizendo que recebeu diretamente do Palácio do Planalto o convite que marcará cerimônia de assinatura nesta quarta (11).

O pleito dos produtores de cana e a maioria das unidades do Nordeste é antigo e se opunha à resistência das usinas de grupos verticalizados, principalmente, com distribuição de combustíveis, como a Raízen (RAIZ4)

Ipiranga e a BR Distribuidora (BRDT3), embora não possuindo produção, também resistiam a perda de margem na distribuição, uma vez que a venda direta das usinas aos postos também barateará o bicombustível na bomba.

O Cade, a ANP e o Ministério de Minas e Energia também se manifestaram favoráveis à medida que visa dar maior competividade ao etanol com o ganho de consumo de um combustível mais barato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × um =