A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL) informou que vídeos antigos, sobre as manifestações de 7 de setembro, voltaram a circular para, propositalmente, confundir as pessoas sobre uma nova manifestação nesta segunda-feira (7). Em entrevista à Folha de São Paulo, o diretor da entidade, Carlos Alberto Litti Dahmer, disse que devido à grande circulação entre os grupos de caminhoneiros desse material, deve haver paralisações em todos os estados da região Sul.

“São vídeos antigos, mas qualquer motivo é suficiente para inflamar uma minoria que não aceitou o resultado da eleição”, afirmou.

Bolsonaristas que estão nas manifestações antidemocráticas iniciadas no domingo (30) começaram a convocar uma possível “greve geral”, em que pedem adesão de empresários. Um convite para o movimento com ares de locaute (greve de empresas, hoje proibida pela legislação) passou a circular em redes sociais e nos grupos de WhatsApp e de Telegram de pessoas envolvidas com as manifestações.

Wallace Landim, o Chorão, também afirma que vídeos antigos, do 7 de setembro, estão sendo reaproveitados para inflamar manifestações que não têm qualquer organização de grupos ligados a caminhoneiros. Ele diz que o que se “vê são atos organizados junto a empresas nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso” e que “90% dos caminhões de empresas que aparecem nos vídeos são ligadas ao agro”.

Ele disse estar triste em ver que empresários, políticos e outros apoiadores de Bolsonaro estão usando “o nome do movimento dos caminhoneiros, por causa da força que a gente tem, para promover atos antidemocráticos”, comentou. “O que estamos vendo é um risco de locaute.”

MaisPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 + 1 =