Manifestações antidemocráticas de grupos de caminhoneiros que apoiam o presidente derrotado Jair Bolsonaro (PL) voltam a interditar e bloquear estradas pelo País. Neste sábado, 19, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registra 23 interdições, sendo 5 totais e 18 parciais.

Como consta no último balanço da PRF, divulgado às 17h30 deste sábado, os bloqueios estão concentrados em dois Estados: Mato Grosso e Pará. Dos cinco registros, quatro são em Mato Grosso.

Desde o segundo turno das eleições, a PRF já desfez 1.180 manifestações antidemocráticas em rodovias, que ocorreram em protesto à vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Confira as regiões com bloqueios:

Os protestos têm voltado a ganhar força desde o feriado de Proclamação da República, no último dia 15. Antes disso, no último dia 9, a PRF tinha informado que todas as rodovias federais estavam livres de bloqueios e interdições.

Bloqueio de contas

Na quinta-feira, 17, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou ao Banco Central que bloqueie contas de dez pessoas e 33 empresas diante da possibilidade de financiamento de “atos ilícitos e antidemocráticos” que bloquearam rodovias em todo o País após a derrota de Bolsonaro.

Alexandre de Moraes ainda determinou que a Polícia Federal colha os depoimentos de todos os listados no despacho em até dez dias. Os investigadores também deverão apontar as diligências que entenderem necessárias para aprofundar as apurações.

Apelo de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo no início do mês, dia 2, fazendo um apelo para que seus apoiadores desbloqueiem estradas de todo o País. No vídeo, Bolsonaro lamentou a derrota nas urnas e pediu que os apoiadores encerrassem os bloqueios.

“Quero fazer um apelo a você: desobstrua as rodovias. Isso não faz parte, no meu entender, dessas manifestações legítimas, não vamos perder nós aqui a nossa legitimidade. Outras manifestações estão fazendo pelo Brasil todo, em praças, fazem parte do jogo democrático”, pediu Bolsonaro.

Bolsonaro também lamentou a derrota nas eleições e legitimou as manifestações. “Estou tão chateado e triste quanto vocês, mas temos que ter a cabeça no lugar. Os protestos, as manifestações, são muito bem-vindas, fazem parte do jogo democrático”, afirmou.

*Com informações de Estadão Conteúdo

 

TERRA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × 4 =