Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Foi transferido no início da tarde desta quarta-feira (1º) para o presídio PB-I, em João Pessoa,  os seis homens presos pela Polícia Civil, em Santa Rita, suspeitos de integrar uma quadrilha especializa em explodir bancos  e postos  de combustíveis no Rio Grande do Norte.  De acordo com a polícia, o grupo responde  a 10 inquéritos policiais, incluindo o assalto ao Banco do Nordeste.

Os presos foram autuados pelos crimes de Organização Criminosa armada, Posse Ilegal de Arma de Fogo de Uso Permitido, Posse de Explosivo e Receptação, previstos, respectivamente, no art. 2⁰ da Lei 12.850/2006, arts. 12 e 16, par. 1⁰, III, da Lei 10.826/2003 c/c art. 1⁰, parágrafo único, II e V, da Lei 8.072/90 (crime hediondo), e art. 180 do Código Penal.

Com o grupo foi apreendido sete armas, algumas de grande poder de fogo, e quase 500 munições de vários calibres, em menos de 15 dias. Segundo o delegado Carlos Othon, titular da DRFVC, a prisão se deu após incursão em uma casa de luxo situada no Loteamento Plano de Vida, bairro de Tibiri, Santa Rita/PB, local onde três veículos foram encontrados, sendo dois deles roubados.

Além dos carros roubados, a Polícia Civil da Paraíba apreendeu um verdadeiro arsenal com o grupo criminoso, sendo uma submetralhadora Taurus, SMT, cal. .40; uma espingarda cal. 12; uma pistola Imbel, cal. 45; carregadores de vários tipos de armas; munições cal. 12, .40 e 45; dois coletes balísticos;  sete explosivos prontos para serem detonados; grande quantidade de cordel detonante; dezenas de espoleta para acionamento de explosivos; aproximadamente 30 kg de nitrato de amônio (insumo para fabricação de explosivos); roupas camufladas, balaclavas, lanternas, luvas e cabos de aço para amarrar os cofres, celulares e pequena porção de maconha.

“Chama atenção o fato de três de esses indivíduos serem ex-funcionários de grandes empresas de segurança privada especializadas em transportes de valores, o que indica a possibilidade de recrutamento de funcionários para obtenção de informações privilegiadas sobre os alvos das ações criminosas”, ressaltou Carlos Othon.

A investigação aponta que os indiciados integram uma Organização Criminosa que atua em sucessivos roubos a instituições financeiras e cofres de postos de combustíveis, utilizando-se de explosivos e armas de grosso calibre. “Um exemplo disso foram os assaltos praticados contra o Banco do  Nordeste e cofres de estabelecimentos às margens das rodovias que cortam as cidades de Macaíba/RN, São Paulo do Potengi/RN, Tangará/RN e região”, destacou o delegado.

Ele disse ainda que um dos indivíduos preso é um conhecido blaster, responsável pelo manuseio, arranjo, disposição e detonação de explosivos. Outro integrante do grupo tinha mandado de prisão em aberto pelo crime de roubo qualificado majorado.

Durante o roubo de um dos veículos apreendidos, ocorrido na zona rural de Eloi de Souza/RN, os criminosos atiraram na boca da vítima. O grupo também é investigado pela Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado – DEICOR-RN em mais de uma dezena de inquéritos policiais.

 

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

12 + dezesseis =