Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou, nesta segunda-feira (20/6), que a pasta “trabalha em estratégias” para não perder as 28 milhões de doses de vacinas contra a Covid prestes a vencer

Relatório elaborado pela secretaria de Controle Executivo da Saúde do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que parte das doses tem prazo de vencimento previsto para os meses de julho e agosto deste ano.

A maioria, 26 milhões, são do laboratório AstraZeneca. Outro 1,9 milhão são da Pfizer. Os imunizantes custaram aos cofres públicos cerca de R$ 1,23 bilhão.

Nesta segunda, o secretário Arnaldo Medeiros disse que o governo federal trabalha para distribuir as doses aos estados e municípios. Ele convocou a população a buscar os postos de saúde e completar o esquema vacinal.

De acordo com a pasta, 22 milhões de brasileiros ainda não tomaram a segunda dose do imunizante. Outros 62 milhões ainda não receberam o primeiro reforço. Além disso, 27 milhões estão com a segunda dose de reforço em atraso.

“A gente está cada vez mais procurando distribuir todas essas doses com estratégias para avançarmos nesta campanha. O Ministério da Saúde está fazendo todo o trabalho para que nenhuma dose seja perdida. Estamos convocando a população brasileira para tomar essas doses. Se quem é apto a tomar seu primeiro e segundo reforço procurar o posto de vacinação, certamente nenhuma dose será perdida”, afirmou o secretário.

Indicado do Centrão é nomeado secretário de Vigilância em Saúde

De acordo com o gestor, cabe às farmacêuticas procurarem a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para pedir ampliação do prazo de validade dos imunizantes.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

doze + sete =